Segunda-feira, 14 de Setembro de 2015

Primárias não salvam os partidos de si próprios

Expresso3.jpg

 

Quem acreditasse que as primárias iam resolver os problemas das eleições internas dos partidos enganou-se. As primeiras primárias do PS abertas a simpatizantes, realizadas em setembro de 2014, acabaram por reproduzir as lógicas mais elementares do caciquismo habitual. Foi uma abertura de um partido à sociedade? Foi. O resultado final reflecte essa abertura? Não. Como o Expresso explica neste artigo da  Cristina Figueiredo (artigo na foto, não no link) sobre o livro, as primárias do PS foram um embuste porque não representaram, afinal, um avanço tão histórico assim para a nossa democracia.  António Costa ganharia muito provavelmente em qualquer das circunstâncias, mas uma análise fina aos resultados permite-nos perceber que se mantiveram e reforçaram as lógicas do aparelho.

 

Essa tendência é mais fácil de verificar nos bastiões de apoio a António José Seguro, porque o candidato derrotado venceu aí com números totalmente inversos aos resultados nacionais, por força da acção de arrebanhamento dos dirigentes locais. No caso de António Costa, este reforçou as votações nos concelhos onde era apoiado pelos caciques mais poderosos, um efeito que também se deveu ao facto de ter uma organização muito mais profissional e activa. Conclusão: nestes moldes, como tento explicar no livro, as primárias tal como o PS as organizou não vão salvar os partidos de si próprios. Mantêm-se tudo tal e qual, mas potenciado por mil...

publicado por Vítor Matos às 13:00
link do post | favorito

contacto

ospredadoresdopoder@gmail.com

pesquisar

posts recentes

Actividades predatórias n...

A grande família socialis...

Caso das fichas falsas da...

Os Predadores, Cercado e ...

Entrevista à Renascença: ...

TSF: "Tudo o que os polít...

Rodrigo Gonçalves e pai a...

Não deviam ser os partido...

Segunda edição está a imp...

"A moeda de troca é o Est...

tags

todas as tags

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

blogs SAPO